O Diamante de Gould


O Diamante de Gould foi descoberto e descrito pela primeira vez em 1833 na Austrália, em inglês é conhecido como Lady Gouldian finch, uma homenagem que seu descobridor o expedicionário, naturalista e ornitólogo, John Gould
Fonte: Gislandia Governo

Diamante de Gould

 

 O Diamante de Gould foi descoberto e descrito pela primeira vez em 1833 na Austrália, em inglês é conhecido como Lady Gouldian finch, uma homenagem que seu descobridor o expedicionário, naturalista e ornitólogo, John Gould, fez a sua esposa Elizabeth, quando ela faleceu. Elizabeth era uma. hábil desenhista de pássaros, foi ela quem registrou as primeiras imagens do pássaro, que o casal pesquisou junto em expedições na Austrália realizadas no século XIX. Em expedições ao Brasil, realizou monografias sobre beija-flores (1849-1861), e sobre tucanos (1854) com belas ilustrações destas espécies. Gould nunca mais esteve no Brasil, realizando todos os seus trabalhos posteriores na Europa.

Entrevista: CARLOS MONTEIRO
*Campeão 2004 de Diamantes de Gould, pela FOB - Federação Ornitológica Brasileira

O criador de Diamantes de Gould, Carlos Alberto Monteiro, 44, do criatório Vitória Régia, de Sorocaba, em São Paulo, é tetracampeão no segmento Exóticos e oito vezes campeão nos Diamantes de Gould.

 Como surgiu seu interesse pela criação de Diamantes de Gould?

Aos 10 anos ganhei da minha madrinha um periquito australiano. Fiquei encantado pelas cores e porte. Depois vieram os canários e há 14 anos, começei a criar Diamantes de Gould. Sou fascinado pelo canto sutil e as incríveis possibilidades de mutações de cores dessa ave. Aprecio a sua beleza como um todo, a tranquilidade que elas possuem e nos transmitem.

Quantas aves o senhor mantém em seu plantel?

No momento tenho 23 casais de Diamante de Gould, 2 de Bichinow, 1 de Modesto, 2 de Sparrow, 1 de Bavete Masquet e 80 casais de Manon para amas criando e mais ou menos 500 outras aves que voltaram do campeonato como Goulds, Mandarins, Manons, etc...

O que um criador de aves precisa para ter sucesso num campeonato?

É necessário quantidade e variedade de espécies. Saber identificar os melhores exemplares, ter noção de genética e espírito esportivo.

O senhor comercializa aves?

Apesar do objetivo da criação serem os campeonatos, tendo que ter muitos pássaros para podermos tirar os melhores, existe uma sobra, então, é necessário a venda.

Como é sua rotina de cuidado com as aves?

Infelizmente pelo meu trabalho como Engenheiro, não posso me dedicar totalmente. Pela manhã, enquanto coloco a farinhada, verifico se estão todos bem. Na minha hora de almoço, passo pelas matrizes para verificar quais casais tiveram postura. Retiro seus ovos, que serão colocados para chocar nos Manons, que são as aves que cuidam dos filhotes. Marco onde nasceram, anilho os filhotes -- o que deve ser feito em media no sétimo dia. Verifico se os filhotes com mais ou menos 45 dias já estão se alimentando sozinhos, para serem separados dos manons e colocados em gaiolas voadeiras, para esperar a eoica de muda. Tenho tambem uma funcionária que faz a troca da semente, água e varre diariamente o ambiente onde ficam as aves. Ela também troca o jornal das gaiolas duas vezes por semana e as grades quinzenalmente. A lavagem dos cômodos é feita semanalmente.

Quando e como começou a participar de campeonatos?

Desde que me filiei ao primeiro clube ornitológico, em 1975, para pedir anilhas e visitar as exposições. Comecei criando canários, depois conheci os exóticos e me encantei pela variedade de espécies e cores, passando então a criá-los. Em 1985, participei da fundação do primeiro clube de minha cidade, onde tínhamos criadores de canários, e depois exóticos. E em 1997, fundei com outros criadores o C.O.S (Clube Ornitológico de Sorocaba), onde sou sócio até hoje.

Até hoje, quantos prêmios conquistou?

Foram muitos, como Eficiência, Quarteto, Campeonatos abertos, mas os que mais se destacam são: 4 Titulos de Campeão Brasileiro (98- 01- 02 - 04). Há oito anos sou campeão do grupo Diamante Gould, e ganhei três medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze no Campeonato Mundial do Hemisfério Sul, realizado em julho de 2002, na cidade de Cascavel, no Paraná.

De quais segmentos participa?

Participo somente do segmento de exóticos.

Como é a preparação para um campeonato?

A preparação se inicia quando vamos começar a criação, pois dependendo do titulo almejado, define-se a quantidade de casais, cores e as variedades de espécies. Quatro meses antes do campeonato, começo a separar os que vão se destacando pelo porte, cor e beleza. Eles são individualizados em voadeiras, para não se bicarem e resultar em falhas nas penas. Coloca as aves para tmarem banhos de sol e água em banheirinhas, duas a três vezes na semana. Uma semana antes do campeonato, verifico unhas, penas escuras nas aves claras, limpeza de bicos e principalmente, os transportes onde serão levadas, para não sofrerem até chegarem ao local do campeonato.

Fale sobre o prazer do hobby de criar Diamantes de Gould:

Com relação a criar Diamantes de Gould, posso dizer que cada ano é diferente do outro. Acompanhar o nascimento e o desenvolvimento dos filhotes me encanta. Com relação a campeonatos, não é que vá parar, mas agora que conquistei o tetracampeonato, vou dar um tempo e retornar no próximo ano com uma criação mais intensa. E quem sabe ganho o Penta...

Agradecimentos:

*Federação Ornitológica Brasileira (FOB)
Av. Francisco Matarazzo, 455 - Parque da Água Branca - São Paulo - SP
CEP: 05001 - 970 TEL.: (11) - 3862-4176

Diamantes de Gould - passo-a-passo da criação

Reprodução - Identificação do sexo: O macho faz o corte movimentando-se no poleiro, alem de serem facilmente diferenciados das fêmeas por eles terem cores muito mais vivas que elas, a cauda do macho também é diferenciada por ser mais comprida. Na época de acasalamento é comum o bico do macho tornar-se mais claro e o da fêmea mais escuro.

Criação - Com 11 meses pode-se formar os casais de gould, que em normalmente 10 ou 15 dias iniciam a postura. É muito difícil casais de goulds chocarem seus ovos em tempo integral e criarem seus filhotes, na grande maioria das vezes não o fazem.O correto é que você providencie cinco casais de manons, para cada casal de gould. As posturas devem se iniciar no final de fevereiro com um intervalo de sete a quinze dias do final de uma ao inicio da outra, que não devem ultrapassar um total de cinco.

Quando os goulds começarem a botar, separe ovo por ovo em um recipiente com palha de painço, quando pararem, passe estes ovos para os manons, todos de uma só vez, para que os filhotes nasçam todos no mesmo dia. Estes ovos devem ser girados ao menos uma vez ao dia, de forma que a face que estava voltada para cima fique para o lado de baixo, e assim consecutivamente, impedindo que a gema venha a se colar a um dos lados internos da casca, o que inutilizaria o ovo.

Ao final da terceira postura dos goulds, separe o macho da fêmea e de um tempo de 15 dias para que eles descansem, depois retorne o casal para mais duas posturas. No final de agosto você deve novamente separa-los para que fiquem fortes para o inicio da muda de penas, período este que depois da época da postura é o mais delicado na vida de um gould. Lembre-se de reforçar a farinhada nestes dois períodos da vida deles e fornecer casca de ovos de galinhas torradas e trituradas, ou osso de siba, para que a fêmea não se desclassifique, areia também é muito importante para a vida de qualquer pássaro e não deve faltar durante todo o ano.

Alimentação - O Diamante de Gould é um pássaro granívoro, por isso deve ser alimentado com uma mistura de sementes, 30% alpiste, 70% de painço, mistura esta que deve ser soprada e reposta todos os dias, verduras como almeirão, espinafre, ou chicória devem ser fornecidas pelo menos uma vez por semana, farinhada é essencial para a boa saúde do pássaro e deve ser servida e trocada todos os dias, especialmente na época de reprodução e muda de penas, também devemos servir osso de siba, ou casca de ovos de galinha torrada por 20 a 30 minutos e triturada, os dois produtos são fontes de cálcio essenciais para os pássaros principalmente na época da postura, quando e especial as fêmeas precisam de reposição de cálcio. Para completar, uma tigela de areia de rio lavada, deve ser deixada a disposição dos pássaros, a areia é um elemento muito importante para a saúde dos pássaros. É ótimo para a higiene e para mantê-los em boas condições de saúde, pois contém minerais, cálcio e auxilia na digestão das aves. Em cativeiro quando tratado corretamente, vive de sete a nove anos. Farinhada todos os dias exceto para pássaros obesos.

Ingredientes - Farinha de Rosca - 1kl. Neston em flocos - 15 colheres. Farinha Lactea - 10 colheres. Germe de Trigo - 8 colheres. Aveia em Flocos - 6 colheres. Fosfato bicalcico - 2 colheres Pré Mix - 2 colheres Deve ser servida com ovos cozidos passados em um processador de alimentos ou em uma peneira, para cada ovo misture 5 a 6 colheres/sopa bem cheias de farinhada. No período da muda de penas, pode-se adicionar 1 tubo de Penavit Plus (15g), por kl de farinhada.

Cuidados - Os diamantes de gould são pássaros delicados e sensíveis, merecendo do seu dono total dedicação e cuidados, principalmente na época de muda de penas, época esta que é a mais delicada da vida de um pássaro, onde as perdas podem ser grandes para os criadores se não forem tomados os cuidados necessários.Nesta época o criador deve reforçar a alimentação, ter sempre a mão um energético, como o açúcar de uva, proteger o pássaro de correntes de vento e evitar ao maximo o stress causado por manuseio, barulho e sustos, sempre que possível manter o menor numero de pássaros na mesma gaiola, evitando assim disputas por alimentos e brigas. Trocando os ovos: Em geral, temos que ter cinco casais de Manon para cada casal de exóticos (Diamante Gould, Diamante Sparrow, Star Finsh, Bavette), aumentado a probabilidade de coincidência entre os períodos de reprodução de uma espécie e outra. O processo todo acontece da seguinte forma: coincidindo a postura de ovos do casal de exóticos e de um dos casais de Manon, substitui-se os ovos do Manon pelos da outra espécie. Graças a seu instinto, papai e mamãe Manon chocarão os ovos de qualquer outro pássaro como se fossem seus, sem descuidar dos filhotes durante todo o período de alimentação até chegarem à fase adulta.

Condições para criação

UMIDADE : Estas aves habitam uma zona úmida da Austrália, mas sempre com temperaturas altas, daí que em cativeiro lhes devemos proporcionar diferentes umidades de acordo com a temperatura que estão sujeitos. A umidade recomendada é de 55 a 65% para temperaturas da ordem dos 22 graus, e de 65 a 70% para temperaturas superiores. LUMINOSIDADE:

Não é necessário uma intensidade de luz exagerada, na realidade o importante será o tempo de luz. É conveniente instalar um sistema automático de iluminação, que lhes permitirá simular dias maiores, sem esquecer o amanhecer e o anoitecer que deverá ser simulado, de forma que a luz não se apague repentinamente, deixando fêmeas fora de choco.

Gaiola - Para 1 casal, ao menos 50 cm de comprimento x 30 cm de profundidade x 30 cm de altura. Acessórios: Em gaiolas, 2 poleiros de 10mm de diâmetro, bem afastados e longe das laterais, para evitar danos às penas da cauda. Quando a temperatura não estiver muito fria, ponha uma banheira para banho diário, que ajuda a manter a plumagem em boas condições.