Como reconhecer sinais de doenças em seus canários


"...Nem sempre é fácil reconhecer quando as nossas aves estão doentes, se bem que, como já demos a entender, uma ave bem alimentada e cujos preceitos de higiene sejam cumpridos, tenha à partida muito menor probabilidade de adoecer. Acontece,  porém, como a qualquer ser vivo, por uma razão, aparecer doente..."
Fonte: Portal dos Canários


 

Como Reconhecer Sinais de Doenças em seus Canários

 

Nem sempre é fácil reconhecer quando as nossas aves estão doentes, se bem que, como já demos a entender, uma ave bem alimentada e cujos preceitos de higiene sejam cumpridos, tenha à partida muito menor probabilidade de adoecer. Acontece,  porém, como a qualquer ser vivo, por uma razão, aparecer doente. Assim, é de primordial importância reconhecer precocemente os sintomas ou sinais mais freqüentes de certas afecções para que possamos atuar rapidamente, administrando o produto mais indicado pra cada caso.

 

Dica

 

Se um pássaro está iniciando qualquer doença mesmo não estando triste, coloque uma banheira com água dentro da gaiola para eles tomarem banho; observe que todos os pássaros irão para a banheira se molhar, pois estão sadios.
os que não forem deverão ser separados dos demais e colocados em uma gaiola à parte para serem observados durante alguns dias, pois provavelmente devem estar com alguma irregularidade, podendo ser stress ou o início de alguma doença.

Os seguintes sintomas poderão dar indicação de uma doença mais ou menos séria, pelo que em casos mais difíceis, aconselha-se a procura de um veterinário.

  1. Modificação no aspecto das fezes. Uma ave doente poderá apresentar:

-Diminuição na quantidade das fezes;

-Modificação na cor dos uratos da urina;

-Aumento da porção de urina (poliúria);

-Diminuição do volume das fezes com aumento dos uratos.

 

2. Diminuição ou excessivo consumo de alimentos ou água.

 

3. Modificação de atitudes, comportamento ou hábitos.

Atividades diminuídas, perda de canto, sonolência, falta de resposta aos estímulos.  

4. Modificação da aparência e postura.

Penas eriçadas, fraqueza, perda do equilíbrio, posição anormal no poleiro, no fundo da gaiola, asas caídas, convulsões.

 

5. Modificação da respiração.

Respiração difícil e aparente (a cauda move-se para baixo e para cima); respiração ofegante após esforço; alteração na voz; ruídos respiratórios tais como: espirros, estalidos ou silvos, “tosse”.

 

6. Alteração no peso ou condição física geral. A ave aparenta leveza; uma quilha proeminente, devido à perda de tecido muscular  do peito (grave).  

7. Inchaços no corpo.

 

8. Feridas ou hemorragia.

 

9. Vômitos ou regurgitação.

 

10. Corrimento nasal (olhos e bico).

  Estes são os sinais mais preocupantes, pelo que deverá tomar as medidas adequadas.

-Não dê antibióticos sem saber exatamente as causas;

-Enquanto não consultar um técnico, poderá no máximo dar água morna com café e açúcar;

-Não aguarde para o dia seguinte;

-Consulte o seu veterinário.

  1. Outros sintomas menos graves, mas que por serem anormais devem merecer atenção e a procura de suas razões, são:   -Muda anormal e prolongada das penas;

-Perda de penas ou inchaço à volta dos olhos;

-Falta de força nas patas;

-Patas inchadas;

-Crescimento anormal do bico ou unhas;

-Crostas nas narinas.

 

Nota importante

 

Ao adquirir uma ave, nunca a junte de imediato às que eventualmente já possua. Deve fazer-lhe uma quarentena (15 dias), administrando-lhe um anti-stress (cloristress) e efetuando-lhe uma desparasitação com S.P. Vermes ou S.P. Vermes Plus.