Canaricultura Higiene

 


Substituo as grades do fundo semanalmente colocando estas dentro de água com lixívia onde ficam durante uma semana.

Autor: Manuel João Múrias

 

Canaricultura - Higiene 

 

É parte decisiva para bons resultados. Pessoalmente sou contra ambientes assépticos e o local onde as aves vivem, quer sejam gaiolas ou voadouros têm sempre excrementos e restos de comida. Não podemos por fraldas nos nossos pássaros, portanto é utópico ter-se como meta a limpeza maníaca.

Substituo as grades do fundo semanalmente colocando estas dentro de água com lixívia onde ficam durante uma semana. Os poleiros troco-os de 2 em 2 semanas. Mudo semanalmente os poleiros individuais, especialmente se o voadouro tem uma grande população.  

De quinze em quinze dias lavo os tabuleiros do fundo. Renovo o tabuleiro da gaiola colocando sal e por cima uma folha de papel absorvente, pode ser jornal. Assim controlam-se as fezes mais facilmente e o sal evita bactérias indesejáveis e vermes próprios dos fundos das gaiolas. As gaiolas, lavo-as antes da criação (Fins de Dezembro) e depois da criação (Em Agosto) com água e lixívia ficando aproximadamente uma semana em "vazio" ao ar livre. Lavo e pinto as paredes do voadouro em finais de Janeiro, aproveitando este estar vazio.

Os bebedouros, exceptuando no Verão, que são substituídos no mínimo1 vez por dia e os comedouros, principalmente de papa, sementes germinadas e vegetais, são todas as semanas colocados em água com lixívia. Desta forma nos bebedouros não se depositam fungos nas paredes (verdete e algas castanhas), que são bastante tóxicos para as aves. Substituir todas as semanas os bebedouros/ banheiras de barro, por outros já prontos, lavando-os com uma esponja e lixívia.

A lixívia deve entrar com moderação e muito diluída dentro do canaril, devido aos vapores de cloro tóxicos para as aves. Quando utilizada deixar as janelas abertas até secar. Quando utilizada fora do canaril pode ser usada, sempre diluída com água, mas em doses muito maiores. O cloro evapora-se dos utensílios que queremos desinfectar. Depois de imersos em lixívia basta deixá-los secar ao ar. É bastante eficaz e inofensivo.

Ponto muito importante é o da desinfestação duas vezes por ano às gaiolas, sobretudo se forem de madeira, com acaricida, contra os ácaros vermelhos e brancos, tão nefastos para a saúde das aves.

No voadouro, por baixo do local onde as aves pousam, deve-se colocar areia para gato, ou para aves, que é do mesmo tipo da areia absorvente para gatos mas sem pó e com uma pedrinha miúda, renovando-a conforme a necessidade.

Devem escolher-se todos os acessórios de modo a criar uma técnica rápida e eficaz, para que as aves não sejam demasiado perturbadas durante a limpeza das suas instalações. No canaril deve procurar ter gestos harmoniosos, próprios, característicos da sua personalidade, porque o tratador "também faz parte do bando".