O periquito ainda está vivo

 


O Periquito Ondulado Australiano, tem sido desde sempre uma ave de referência.

Autor: Paulo Santos 


 

O Periquito Ainda Esta Vivo 

O Periquito Ondulado Australiano, tem sido desde sempre uma ave de referência. As suas cores variadas, a fácil adaptação ao nosso clima e sobretudo uma personalidade muito própria, transformaram o Periquito no eleito de todos aqueles que queriam uma ave como animal de estimação.

Alguns “criadores” cedo descobriram que a sua fácil adaptação aliada ao comportamento reprodutivo o transformava na ave ideal, pois era altamente rentável.

Desta forma, surgiram de todos os cantos do País criadores de Periquitos, empenhados em inundar o mercado com estas aves. Este comportamento veio trazer poucos ou nenhuns benefícios ao Periquito, pois além de outras situações, a dada altura, a saturação do mercado fez-se sentir e esses “criadores” pouco a pouco, foram abandonando a sua ave de eleição e optando por espécies que se tornavam agora, bem mais rentáveis.

No entanto e durante o período de “Ouro” do Periquito, este foi criado sem qualquer controlo, o objectivo era apenas conseguir o maior numero de aves possíveis, sem olhar á sua qualidade e/ou ás condições em que eram criados. As gaiolas individuais foram colocadas de parte e iniciou-se a criação em colónia, que no seu estado selvagem pode ser benéfica, mas em cativeiro e dado o numero limitado de aves, criou situações de consanguinidade excessiva que se traduziram numa redução da qualidade do Periquito, quer em termos de porte, quer em termos genéticos. Não é raro ver-mos nas diversas lojas de animais, aves defeituosas, consequência da descontrolada consanguinidade, sem um objectivo concreto, que não fosse a produção de aves em massa.

O período de “Ouro” do Periquito tinha os dias contados e esta ave começou a ser vista por aqueles que durante alguns anos a utilizaram como fonte de receita, como sendo uma ave de segunda categoria e que não era digna dos mais “conceituados criadores”.

Esses “ex-criadores” de Periquitos, dizem agora que estas aves são excelentes para quem se inicia na Avicultura, passando a ideia de que são aves banais, pois são de fácil criação e manutenção, mas será isto uma realidade ? Bem, penso que não seja assim tão linear.

Salvo raras excepções, criar aves é, em termos gerais relativamente fácil, o difícil é criar aves de qualidade, ao nível das melhores aves do mundo, isso sim, é verdadeiramente difícil.

A manutenção destas aves, requer muito mais do que água e mistura de sementes e mesmo que assim fosse, no mínimo água fresca e semente de boa qualidade. Mas infelizmente, a semente fornecida é em muitos casos de fraca/péssima qualidade e os bebedouros chegam a ser verdadeiros viveiros de algas e outros microorganismos que em nada contribuem para o bem estar das aves

Conheci criadores que ao fim de 1, 2 ou 3 anos a criar Periquitos, desistiram, dizendo ser uma ave sem interesse. Mas sem interesse porquê ? por ser fácil demais ??? Sinceramente não acredito que findos 1 ou 2 anos se possa definir uma linhagem e conseguir uma série de reprodutores de primeira qualidade.

A criação de aves é, em meu entender, uma ciência e leva alguns anos até se conseguir obter os resultados que podemos considerar de excelentes, a menos que se inicie com aves de excelente qualidade, mas para isso são necessários conhecimentos e experiência para dar continuidade a um trabalho já realizado, caso contrário corre-se o risco de regredir e esta situação não de coaduna com o estatuto de criador, pois o objectivo será sempre evoluir, tendo como principal preocupação a preservação da espécie e a sua eventual melhoria, este sim, é o verdadeiro conceito e objectivo do criador.

Mas infelizmente a criação de aves de gaiola é regulada pelas modas e as modas reguladas por questões monetárias.

Mas um grupo de resistentes manteve-se activo, estes sim, dignos de serem chamados criadores, são acima de tudo, amantes e admiradores de aves e especialmente de Periquitos, por tal facto têm sido fiéis aos seus princípios e mantiveram as suas aves, embora remando contra a maré, mas conseguiram superar as dificuldades, conseguindo manter e até superar a qualidade de muitas aves que se vêem por esse mundo fora.

Todos sabemos que o facto de ter surgido um Periquito de exposição ( Standart Inglês ), fruto de uma selecção cuidada, veio em parte, relegar para um plano inferior o chamado Periquito normal, no entanto, em meu entender, é necessário dar a volta á situação.

Seria justo e necessário voltar a colocar o Periquito normal nas exposições e devolver-lhe o lugar de destaque que ele merece.

Ao longo destes anos, continuo sem entender o porquê dos Clubes e Associações, nunca terem lutado para que esta situação fosse uma realidade, seria pois a forma de se conseguir fazer com que os chamados “Periquitos normais” não fossem vistos apenas como fontes de receita fácil... ou será que esquecemos que eles estão na origem do Standart actual ?

Hoje e devido ao défice de Periquitos que se sente no mercado, os oportunistas começam novamente a voltar-se para o Periquito, tentando a exemplo do que aconteceu no passado, obter lucros fáceis.

O mais absurdo é que estes oportunistas, além de terem voltado em busca do lucro fácil e depois de terem denegrido a imagem do Periquito, vêm agora com novas ideias, tão ridículas quanto eles próprios. Uma série de “novas mutações” de Periquitos cor-de-rosa, vermelhos, laranjas e verdes florescentes, têm inundado o mercado, esta coloração artificial tem, como é óbvio, efeitos negativos na saúde das aves, mas, a par destes pseudo-criadores, estão também os proprietários de lojas de animais, que se permitem vender estas aves, sabendo que as cores artificiais se perderão com o tempo, ( excepto no caso em que, devido aos produtos ministrados na coloração, as aves acabam por morrer precocemente ), aí pode dizer-se que esta cor se mantém até ao fim da vida.

Não me vou referir ao comprador, pois este, em alguns casos é desconhecedor da situação, pese embora o facto de outros, que conhecem a situação mas acabam por adquirir estas aves, incentivando desta forma a continuação da sua produção.

É hora de dizer a estes senhores, BASTA!. O Periquito merece ser elevado ao estatuto a que tem direito, é necessário que algo se faça para contrariar os oportunistas, mas primeiro é necessário que haja abertura e sobretudo, espírito de união.

Vamos começar por orientar os novos criadores, incentivando-os a fazer o que está certo e não o que é fácil.

Ainda se sente muita falta de vontade em ajudar os mais novos, por vezes o receio de sermos ultrapassados, leva-nos a esconder conhecimento, mas esquecemos algo muito importante, já todos fomos ultrapassados, mas não foi por aqueles que tinham muitos conhecimentos, mas por aqueles que só procuraram a compensação financeira e conseguiram relegar o Periquito para um lugar de segundo plano, no qual ele não merece estar.

Já chega da velha teoria de que, “sozinho não posso mudar o mundo”, pois enquanto pensarmos dessa forma, fechamo-nos numa concha e um dia olhamos para trás e sentimos que a vida passou por nós, mas nós quase que não demos por ela, nem deixámos sequer o nosso cunho pessoal.

Como sempre ouvi dizer: “DOS FRACOS NÃO REZA A HISTÓRIA”, eu não quero fazer parte desse grupo que nunca será relembrado, quero sim, um dia ser lembrado, nem que seja por um ou dois, como alguém que trabalhou em prol de uma causa justa.

Em minha opinião o Periquito está vivo, talvez um pouco “dormente ou adormecido” devido ao tratamento a que tem sido sujeito por pseudo-criadores, mas acreditem, ele está VIVO, precisa apenas da nossa ajuda para se mostrar em todo o seu esplendor.